Nise da Silveira na Luta Antimanicomial

Atualizado em 30/06/2022
Por Bruna Valentim Lopes

Nise da Silveira na Luta Antimanicomial

Atualizado em 30/06/2022
Por Bruna Valentim Lopes
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nise Magalhães da Silveira, nascida em Maceió -Alagoas, no dia 15 de fevereiro de 1905, foi uma das primeiras mulheres no país a se tornar médica e também uma das pioneiras na Luta Antimanicomial, o que revolucionou o tratamento da saúde mental no Brasil. Nise se tornou aluna da Faculdade de Medicina da Bahia no ano de 1921, sendo a única mulher de sua turma. Casouse com Mário Magalhães da Silveira, também médico, que exercia trabalhos sobre a prevenção da saúde relacionados a questões sociais como a pobreza e a desigualdade. O casal, então, resolveu não ter filhos para que ambos
pudessem se dedicar de forma incansável e integral ao estudo da medicina.

Ao longo de sua carreira, Nise se especializou em psiquiatria, estagiando na conceituada Clínica Neurológica de Antônio Austregésilo já no Rio de Janeiro em 1932, sendo aprovada no concurso de psiquiatria no Serviço de Assistência a Psicopatas e Profilaxia Mental do Hospital da Praia Vermelha pertencente à antiga Divisão de Saúde Mental da Prefeitura do RJ no ano seguinte, logo após a conclusão de sua especialização. Nise também se dedicou ao estudo da arte e da literatura, o que teve grande influência em seu trabalho de vanguarda por meio das técnicas de arte-terapia.

Um fato interessante sobre sua vida é que, devido a sua afinidade com o marxismo, Nise chegou a ser presa em 1936 durante a Intentona Comunista acusada do suposto crime de trotskismo e durante o cárcere conheceu o escritor Graciliano Ramos se tornando, então, uma personagem em um dos livros deste mesmo autor intitulado Memórias do Cárcere.

Apesar dos desafios ao longo de sua trajetória, Nise da Silveira nunca deixou de lutar pela humanização dos cuidados em saúde mental e por um tratamento mais digno e afetuoso, posicionando-se radicalmente contra os métodos questionáveis e agressivos da psiquiatria vigentes à época como, por exemplo, o confinamento por tempo indeterminado em hospitais psiquiátricos, a lobotomia e o eletrochoque. Seu trabalho em terapia ocupacional no Centro Psiquiátrico Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, teve grande relevância para a história da luta antimanicomial no país, revolucionando o tratamento psiquiátrico . Em 1946,reintegrada após a anistia política, Nise fundou nesta instituição a Seção de Terapêutica Ocupacional, criando um ateliê de arte no qual os pacientes poderiam expressar sua subjetividade através da pintura e da modelagem, possibilitando assim um vínculo entre o seu modo de ser com a realidade através da arte. Os trabalhos artísticos desses pacientes se encontram hoje no Museu de Imagens do Inconsciente, centro de pesquisa e preservação dessas obras fundado por Nise da Silveira em 1952, permitindo um novo olhar _ sensível e profundo _ a respeito dos quadros esquizofreniformes. O filme sobre sua trajetória no hospital Engenho de Dentro intitulado Nise: o coração da loucura foi lançado em 2016 pelo cineasta Roberto Berliner, tendo a atriz Glória Pires interpretando o papel de Nise. Nesta obra cinematográfica é possível visualizar o árduo percurso pessoal e profissional de Nise para revolucionar a Psiquiatria e a Saúde Mental.

Uma das maiores influências no trabalho de Nise da Silveira foi a obra do psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, fundador da Psicologia Analítica, uma teoria que permite a busca do Si Mesmo através do processo de individuação e trata os quadros graves de psicose de forma mais profunda e complexa. Nise da Silveira foi pioneira nos estudos de Jung no país, além de ter divulgado incansavelmente seu arcabouço teórico e os significativos desdobramentos na prática psicoterápica através de inúmeros livros e grupos de estudos os quais coordenou por décadas em sua propria residencia a partir de 1955.

Jung e Nise chegaram a trocar diversas correspondências, discutindo seu trabalho no hospital de Engenho de Dentro na zona norte do Rio de Janeiro. O médico suíço que sempre a estimulava em sua prática e pesquisas decidiu convidá-la para divulgar as obras de seus pacientes no II Congresso Internacional de Psiquiatria em Zurique, no ano de 1957. Marie-Louise von Franz, uma das mais brilhantes alunas de Jung, foi mentora e orientadora de Nise da Silveira durante os períodos de estudos no Instituto Carl Gustav Jung em Zurique.

Outras contribuições importantes de Nise da Silveira foram, por exemplo, a criação da Casa de Palmeiras, uma instituição que permitia o chamado cuidado-dia com a reabilitação de antigos pacientes de hospitais psiquiátricos. Ela também proporcionou aos seus clientes _ nunca pacientes! _ a terapia através do contato com animais aos quais chamava de co-terapeutas. Nise da Silveira faleceu no dia 30 de outubro de 1999. Seu trabalho mais humano com o cuidado da saúde mental, no entanto, permanece eternizado justamente por ser um marco na história da psiquiatria nacional e mundial para a luta antimanicomial, o que fez com que Nise da Silveira conquistasse recentemente o título de Heroína da Pátria. Ela postulava que a loucura é um dos possíveis estados do ser e o que dá qualidade à atenção em saúde mental é o contato afetivo com o outro.

Parafraseando Nise da Silveira, podemos afirmar que o que cura é a alegria, o que cura é a falta de preconceito e a relação. “Para navegar contra a corrente são necessárias condições raras: espírito de aventura, coragem, perseverança e paixão.” Nise da Silveira

Referências: Frayze-Pereira, João A. Nise da Silveira: imagens do inconsciente: entre psicologia, arte e política. Estudos Avançados [online]. 2003, v. 17, n. 49 [Acessado 12 Maio 2022] , pp. 197-208. Disponível em: . Epub 18 Fev 2004. ISSN Silveira, Nise da.

Confira aqui acessar as regras para publicação.

Bruna Valentim Lopes, aqui no Blog.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Nise da Silveira na Luta Antimanicomial.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eventos profissionais de Psicologia, organizados por estudantes, para estudantes.
Share This