PROGRAMAÇÃO ENJUPSI PALESTRANTES

Credenciamento Segunda-Feira 20/08/2018: 15:00

Filipe de Mello Lopes

Dia: 20/08/2018


18h30– Palestra – Conselho Regional de Psicologia (CRP)



Pretendemos abordar a questão do impacto do racismo como determinante das condições de saúde da população e, dessa maneira, como isso vem interferindo não apenas nas condições de saúde brasileira, mas também nas condições de atuação profissional da Psicologia.


Pedrinho Arcides Guareschi

Dia 20/08/2018


19h30 – Palestra: A Mídia na Perspectiva dos Políticos



Há muitos analistas sociais que afirmam, e alguns com fundadas justificativas, que mídia é política e política é mídia. Ao mesmo tempo é inegável a importância que a comunicação desempenha no campo da psicologia social. Foi a partir dessa problemática que conduzi uma investigação com o objetivo de entender, enquanto possível, o que a mídia significa para os próprios políticos. Foram entrevistados dezessete líderes políticos entre senadores, deputados federais e estaduais e vereadores. Os resultados foram até certo ponto surpreendentes. Como linha de fundo pode-se dizer que a afirmação de que mídia é política e política é mídia se justifica, com a constatação de que quem realmente possui dimensão hegemônica, num país que ainda sofre profundas lacunas democráticas, são os grandes conglomerados midiáticos. Apesar de os políticos confirmarem essa importância quase determinante da mídia na política, esses políticos mostram uma profunda inconsciência das conseqüências desse fenômeno e desconhecimento de alternativas para construção de uma verdadeira política que seja a pulsação democrática de uma nação.


Credenciamento terça-feira, dia 21/08/2018: 16:30



Cláudia Oshiro


Dia: 21/08/2018


18h – Palestra: A Relação Terapêutica Como Instrumento de Mudança Clínica



Ao considerar a relação terapêutica, os princípios da mudança terapêutica podem ser sintetizados em três áreas: qualidade do relacionamento terapêutico, habilidades interpessoais do terapeuta e, habilidades clínicas. Sob o olhar da terapia comportamental, a presenta palestra terá como objetivo apresentar a Psicoterapia Analítica Funcional, do inglês FunctionalAnalyticPsychotherapy – FAP, que justamente traz a interação entre terapeuta e cliente como central na melhora clínica. Com o progresso dessa área de pesquisa, diversos autores confirmaram que uma boa relação terapêutica estabelecida com o cliente é um dos fatores importantes para a realização das mudanças comportamentais, uma vez que é uma facilitadora para a introdução tanto da análise como de outros procedimentos a fim de atingir os objetivos da terapia e instância de mudança comportamental.


miguel maribondo

Dia: 21/08/2018


Tema: A psicologia e os genocídios coloniais. 



O gemido de uns é o som constante que acompanha a formação do Brasil e embala o sono tranquilo de outros. Uns: condenados a mil mortes. Outros: herdeiros de mil gozos. Esta é a arquitetura política do mundo colonial brasileiro, ela cresce entre dores inenarráveis e delícias inexprimíveis. É cromática a linha que separa os corpos aptos ao gozo daqueles condenados às cicatrizes e feridas que não se fecham. É cromática a fronteira que define o "uns" e o "outros". Desde as cidades (subjetivas, epistemológicas, semióticas, oníricas, espirituais, políticas) condenadas, valeria a pergunta: por que a psicologia não aderiria aos infindáveis genocídios coloniais?


Credenciamento quarta-feira, dia 22/08/2018: 16:30



Váleria Corrêa da Silva


Dia: 22/08/2018


18h – Palestra: Psicologia de Emergências e Desastres – Intervenções Psicológicas em Situações de Crises, Violências e Desastres



A palestra terá como objetivo apresentar o histórico, conceitos e formas de atuação do psicólogo em situação de emergências e desastres e sua complexidade. Como também mostrar o papel e atuação da comissão de Psicologia de emergências e desastres do crpmg.


Bruno Simões Gonçalves

Dia 22/08/2018


Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003), foi bolsista CNPQ (2001-2003) Obteve título de mestre (2007) com a questão da identidade e resistência de caipiras na cidade de São Luis do Paraitinga e título de doutor (2014) estudando o pensamento crítico Latino Americano com especial ênfase nos pensadores José Carlos Mariátegui (1894-1930) e Anibal Quijano (1928-), ambos na Faculdade de Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-Doutorado. , Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.  (2015). Atualmente realiza trabalho de extensão e pesquisa junto a movimentos de luta por território, indígenas e quilombolas. É conselheiro do Conselho Regional de Psicologia do Estado de São Paulo, Membro da Associação Brasileira de Psicologia Social, núcleo São Paulo.


Eliane Potiguara


ELIANE POTIGUARA é escritora, poeta, professora, potiguara, formada em Letras e Educação, UFRJ, extensão em Educação e Meio ambiente pela UFOP. Contadora de histórias. Cavaleiro da Ordem do Mérito Cultural do Brasil, pelo Ministério da Cultura, fundadora do GRUMIN/Grupo Mulher - Educação Indígena, Embaixadora da Paz. Participou da elaboração da Declaração Universal dos Povos Indígenas na ONU. Premiada pelo Pen Club da Inglaterra e Fundo Livre de Expressão(USA).Autora de “METADE CARA, METADE MÁSCARA”, entre outros livros.

Resumo



A aproximação entre a psicologia e a temática indígena tem ganhado corpo nos últimos anos. Com a entrada cada vez maior da psicologia na política publica e a interiorização da profissão, tem sido necessário pensar a atuação com essas populações. Nesse sentido destacam-se a necessidade de pensar em uma psicologia descolonizada que produza um dialogo entre conhecimentos e uma luta por direitos dessa população. Esse será o foco de nossa apresentação.


Credenciamento quinta-feira, dia 23/08/2018: 16:30



Hemuth Ricardo Krüger


Dia: 23/08/2018


18h – Palestra: A Ética na Psicologia como ciência e profissão



A psicologia é baseada em dois valores: obtenção de conhecimento e promoção de bem-estar individual e coletivo. Nesse sentido, a Ética da psicologia fica assegurada enquanto a pesquisa e as práticas nela conduzidas guardarem coerência com os referidos valores.


Pedro Paulo Gastalho de Bicalho


Dia: 23/08/2018


20h30 - Palestra: Psicologia, Políticas Públicas e Atenção Psicossocial em Tempos de Retrocessos



A conferência articula os 56 anos de regulamentação da Psicologia no Brasil às transformações históricas que afirmam o discurso do compromisso social e transformam o exercício da profissão em direção à construção, execução e monitoramento de políticas públicas. Problematiza-se os "tempos sombrios" atuais e o desmonte que evidencia retrocessos e potencializa a condição de desigualdade do país, produzindo efeitos reais nas políticas de atenção psicossocial.


Elaine Laier


Dia: 24/08/2018


08:30 às 12:30- Cine Ajepsi



Mestre em História, com ênfase em História da Saúde, pelo Programa de Pós Graduação em História da UFJF. Graduada em História pela UFJF. Especializada em Psicanálise pela Sociedade de Estudos Psicanalíticos de Juiz de Fora (SEPJF-EBEP/RJ). Atua há treze anos como Docente em instituições privadas de Ensino Superior em Juiz de Fora. Coordenou Espaço de Pesquisas em História e Ciências Humanas aplicadas ao curso de Psicologia da Faculdade Machado Sobrinho. Atualmente é Professora de História e Humanidades na Faculdade Machado Sobrinho. Professora de Especialização em Psicanálise da Sociedade de Estudos Psicanalíticos de Juiz de Fora (SEPJF). Atua como membro e coordenadora do Grupo de Trabalho em História, Cinema e Psicanálise nesta mesma Instituição. Autora do livro Epidemias e Modernização: coerção aos populares na Manchester Mineira em fins do século XIX. Ed. Novas Edições Acadêmicas, 2017.


Filme : Depois de Lúcia
Ano: 2012
Diretor: Michel Franco.
Produção franco/mexicana.
Resumo: O filme a ser exibido e debatido é um drama familiar extremante contemporâneo, essencial e perturbador, onde a juventude é vitima e também faz, ela própria, vítimas de todo tipo de maus tratos, atos que hoje são reconhecidamente agrupados como Bullying. Junto destes lamentáveis episódios, questionaremos os papéis da sociedade e da família, ambas instituições ainda muito carregadas de aspectos patriarcais históricos, na prevenção, proteção e investigação no que tange evitar que os jovens sejam as vítimas quanto os próprios agentes etiológicos desta condenável conduta que leva ao trauma extremo e que, por vezes, pode levar até mesmo ao suicídio.
Após a morte de sua mãe, a adolescente Alejandra e seu pai, tomados por imensa dor, decidem se mudar da cidade onde viviam para a capital do México, a fim de reestruturarem suas vidas. A jovem ingressa num novo colégio e o pai consegue outro trabalho. Contudo, Alejandra começa a sofrer abusos físicos e emocionais em ordem crescente, sem o conhecimento de seu pai ou de qualquer outro adulto presente, nos novos quadros sociais que ela passa a frequentar. Além de analisarmos ao filme em si, a sociedade e o papel dos familiares, como já descrevemos acima, propomos também provocar uma reflexão da importância da Psicologia e demais epistemes das Ciências Humanas como lócus de prevenção, intervenção e acolhimento das vítimas deste tipo de abuso na sociedade contemporânea.

PROGRAMAÇÃO ENJUPSI


PROGRAMAÇÃO DE MINICURSOS

AS INSCRIÇÕES DE MINICURSOS E WORKSHOP SÃO OBRIGATORIAMENTE APENAS PARA PARTICIPANTES DO ENJUPSI


Minicurso 1: Carla Cristina Soares de Oliveira do Vale: “Cuidados de Final de Vida: O que fazer quando não há mais o que fazer?” Terça - feira, 21/08 - 8h30 às 12h30 (MINICURSO ESGOTADO)

Resumo: Levantar essa temática se faz de grande relevância visto que a população atualmente está atingindo uma longevidade maior e com isso convivendo cada vez mais com doenças degenerativas e por vezes por uma extensão de cuidados que precisam ser repensados. O alívio do sofrimento, a compaixão pelo doente e seus familiares, o controle impecável dos sintomas e da dor, a busca pela autonomia e pela manutenção de uma vida ativa enquanto ela durar são alguns pontos que serão abordados.

Minicurso 2: Carolina Gouvêia da Silva: “Autismo na vida adulta: eles cresceram, e agora?” Terça - feira, 21/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: O minicurso irá proporcionar aos participantes informações teóricas e atividades práticas sobre esse transtorno na vida adulta, onde irão confeccionar materiais de apoio na perspectiva do Ensino Estruturado, que auxiliam no trabalho de habilidades de autonomia e independência.

Minicurso 3: Diana Lopes Alves: “Contextualização da Terapia cognitiva pós-racionalista no cenário das Terapias cognitivas” Parte I: Quarta - feira, 22/08 - 13h30 às 17h30 / Parte II: Quinta – Feira, 23/08 - 13h30 às 16h30

Resumo: Contextualização da Terapia cognitiva pós-racionalista no cenário das Terapias Cognitivas. Oferecer noções básicas essenciais à compreensão do modelo por meio da apresentação dos pilares teóricos. Capacitação em primeiro nível para aplicação dos métodos integrado à teoria.

Minicurso 4: Melissa Gevezier Fioravante Vignoli: “3° onda das terapias cognitivo- comportamentais: introdução a novas abordagens" Parte I: Terça – feira, 21/08 - 8h30 às 12h30 / Parte II: Quarta – Feira, 22/08 - 8h30 às 11h30

Resumo: As terapias cognitivo-comportamentais apresentaram uma evolução significativa em sua breve história, tendo as Terapias Comportamentais como seu primeiro marco teórico (1ªOnda);as Terapias Cognitivas focadas no processamento da informação e nas distorções cognitivas (2ª Onda) e, nos últimos 15 anos, as Terapias Cognitivas de 3ª Onda ou de 3ª Geração. As Terapias de 3a Onda buscam desenvolver abordagens e técnicas terapêuticas mais focadas no contexto, enfatizando estratégias focadas nas estratégias vivenciais e contextuais. Entre elas, serão apresentadas: a Terapia Cognitiva Baseada em Mindfulness; a terapia Comportamental Dialética (DBT); a Psicoterapia Analítica Funcional (FAP); Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT); Terapia da Compaixão.

PROGRAMAÇÃO DE MINICURSOS


Minicurso 5: Tatiana Madalena; “Dependência de substâncias psicoativas: Critério de diagnóstico e modalidades de tratamento” Quarta-Feira, 22/08 - 8h30 às 12h30 (MINICURSO ESGOTADO)

Resumo: O conteúdo passará pela caracterização da dependência de drogas de acordo com os principais manuais diagnósticos, a forma de avaliação, quem é o sujeito drogadicto e as implicações sócio-familiares. Também discutirei as diversas abordagens terapêuticas dentro da temática, bem como o papel do psicólogo no tratamento de maneira geral, e o manejo clínico.

Minicurso 6: Claudia Regina F.C. Dias Psicóloga Fiscal do CRP 04, Eriane Pimenta Conselheira CRP04 - XV Gestão, Rita Almeida - Conselheira CRP04 - XV Gestão; “Documentos Psicológicos - Ética e cuidados na elaboração” 
Quarta-Feira, 22/08 – 8h30 às 12h30 - Obs: Minicurso gratuito

Resumo: Neste minicurso propomos uma reflexão sobre questões e dilemas éticos que estamos sujeitos e orientação à partir das Resoluções nº 001/2009 e 007/2003 do Conselho Federal de Psicologia e o Código de Ética Profissional do Psicólogo, além de elucidar as dúvidas referentes à elaboração de documentos escritos pel@ Psicólog@.

Minicurso 7: Auxiliatrice Caneschi Badaró: “Terapia cognitivo-comportamental: desafios clínicos” Quarta - feira, 22/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: No presente curso, serão discutidos os principais pontos que devem ser considerados ao analisar-se um caso clínico difícil, com destaque nas principais formas de resistência e dificuldades frente ao processo terapêutico. Para isso, serão diferenciadas as conceituações cognitivas, as relações terapêuticas e as formas de posicionamento nos casos abordados. Serão abordadas, ainda, mudanças nas intervenções e na postura do terapeuta de acordo com a demanda e perfil do paciente. O conteúdo será apresentado por meio de aula expositiva dialogada, com discussão de casos clínicos.

Minicurso 8: Conrado Pável e Kíssila Teixeira Mendes: “Território, ruralidades e suas implicações psicossociais: novos desafios à Psicologia” Quarta - Feira, 22/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: O minicurso objetiva contribuir na discussão sobre Psicologia e ruralidades e introduzir a relevância deste campo de atuação profissional e científico. Para tal, a partir de uma compreensão sobre a formação do território brasileiro e latino americano e as relações entre urbano e questão agrária, pretendemos debater os seguintes conteúdos: as ruralidades como categoria histórica; a constituição da subjetividade encarnada no espaço; e os limites e possibilidades para a práxis psicológica.

Minicurso 9: Rafael Alves Baracho: “Psicologia Positiva” Quarta - Feira, 22/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: A Psicologia Positiva (PP) é um movimento dentro da psicologia que enfatiza as potencialidades humanas, a felicidade e o bem-estar. Busca, portanto, o enfoque científicados aspectos positivos das pessoas. Os temas abordados serão: introdução à Psicologia Positiva, pilares da Psicologia Positiva, felicidade autêntica, florescimento, teoria do bem-estar, prevenção e potencialização, traços individuais positivos, virtudes e forças pessoais, talentos e pontos fortes, habilidades, elementos de flow, felicidade e bem-estar subjetivo, o modelo Lyubomirsky, atividades intencionais e conclusões.

Minicurso 10: Pedrita Reis Vargas Paulino: ”Religiosidade/Espiritualidade e sua interface com a Psicologia” Parte I, Quinta – Feira, 23/08 - 8h30 às 12h30 / Parte II, Sexta – Feira, 24/08 - 8h30 às 11h30

Resumo: Profissionais de saúde mental têm sido convidados a considerar como as atitudes/crenças religiosas afetam a vida dos clientes - negativa ou positivamente - e como suas próprias crenças sobre religião podem afetar o encontro terapêutico. Harmonizar essa ocorrência está associada: maior informação sobre as variedades de valores socioculturais existentes; comprometimento ético/respeitoso com a liberdade do cliente em seus valores; e tomada de consciência do terapeuta quanto a seus próprios valores.

Minicurso 11: Pollyanna Santos da Silveira: “Introdução à Terapia de Aceitação e Compromisso” Parte I, Quinta – Feira, 23/08 - 8h30 às 12h30 / Parte II, Sexta – Feira, 24/08 - 8h30 às 11h30

Resumo: O objetivo do curso é apresentar a ACT e seus pressupostos filosóficos bem como apresentar os conceitos e métodos dessa abordagem (Hayes, Strosahl e Wilson, 1999). O Curso abordará o processo terapêutico, expresso no modelo do hexágono de flexibilidade psicológica, que contém as fases divididas diferentemente e proporciona uma melhor forma de demonstrar as relações entre elas. As duas primeiras fases fazem parte da Aceitação, assim como metade da terceira. A outra metade é a Desfusão, a quarta é o Contato com o momento presente e o Self como contexto, a quinta diz respeito aos Valores e às Ações com Compromisso, sendo que a sexta também guarda relação com estes aspectos. Este é o modelo mais atual e o que será considerado neste curso. Além da apresentação das questões teóricas da ACT, haverá a prática de vivências para o aprimoramento dos conceitos e da aplicação destes para o contexto clínico. Como esta terapia se propõe a reduzir as formas danosas de controle verbal, a prática clínica é permeada por uma linguagem pouco literal, para quebrar o domínio do comportamento verbal e trazer a experiência como foco. Serão utilizadas para isto metáforas, paradoxos inerentes e exercícios. As metáforas têm um caráter menos específico e, por isso, o cliente tem maior dificuldade de vê-la como uma regra e segui-la por pliance. Elas não têm uma lógica racional, pois são mais como uma imagem, além de serem mais fáceis de lembrar e de aplicar a outras situações. O paradoxo inerente é uma contradição entre propriedades literais e funcionais de um evento verbal. Trata-se de uma construção verbal sobre eventos parcialmente verbais que evidenciam a diferença de qualidade entre eles. Por fim, os exercícios proporcionam uma experiência com eventos privados em um ambiente seguro e sem julgamento, o que promove uma mudança de contexto destes, enfraquecendo seus valores aversivos.

Minicurso 12: Roberta Barbosa da Silva, Milena da Silva Magalhães, Thais de Souza Menezes Mello: “Psicologia e Atenção Básica em Saúde: Desconstruindo Demandas” Quinta – Feira, 23/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: Considerando as demandas de tratamento endereçadas aos psicólogos no contexto da atenção básica em saúde, pretende-se problematizá-las em contraponto a formação em Psicologia considerando a multiplicidade e complexidade do processo saúde-doença-cuidado, de modo a contribuir para a efetivação de práticas que promovam a vinculação entre profissionais, usuários e comunidade desconstruindo a lógica dos encaminhamentos desnecessários e colocando em questão a psicologização do sofrimento.

Minicurso 13: Juliana Fernandes de Souza Ribeiro: “Reflexões sobre a morte e o morrer” Quinta – Feira, 23/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: O minicurso " Reflexões sobre a morte e o morrer" tem como proposta discutir a temática da morte de forma cuidadosa e delicada. Tema de extrema relevância para formação de alunos de Psicologia e/ou psicólogos que desejam atuar em hospitais gerais ou com pacientes terminais. As contribuições da Psicologia para formação dos profissionais de saúde em relação ao tema morte também serão abordadas no minicurso.

Minicurso 14: Bruno Albuquerque: “Psicologia e religião: o diálogo entre Freud e Pfister” Quinta – Feira, 23/08 - 13h30 às 17h30. (MINICURSO CANCELADO)

Resumo: Psicólogos e psicanalistas frequentemente encontram elementos de religiosidade e espiritualidade entremeados nas questões que seus pacientes e analisandos trazem para trabalhar na terapia e na análise. A proposta deste minicurso é retomar a correspondência de três décadas entre Freud e seu amigo Pfister, pastor e psicanalista. Buscaremos nesse encontro inesperado elementos que possam favorecer norteadores no diálogo entre clínica e religião.

PROGRAMAÇÃO DE MINICURSOS


Minicurso 15: Brune Coelho Brandão "Psicologia e feminismo: pensando vulnerabilidades e marcadores sociais na prática profissional" Quinta – Feira, 23/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: A proposta do minicurso é, primeiramente, entender as relações de poder entre pesquisadora(es) e participantes de pesquisas e intervenções nos jogos científicos de produção de verdade. Localizar o sujeito que pesquisa/intervém é um importante passo para nossa lente teórica e ética de trabalho. Além disso, busca-se discutir quais as relações da vulnerabilidade com o poder e a produção de sujeitos, de modo a questionar concepções essencialistas e de trabalho assistencialista. A interseccionalidade é apresentada como forma de trazer os marcadores sociais constituintes dos sujeitos para o debate, de modo a entender as múltiplas vulnerabilidades encontradas no cotidiano de pesquisa e atuação.

Minicurso 16: Márcia Mathias de Miranda: “Políticas Públicas de Ressocialização na Era Neoliberal” Quinta – Feira, 23/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: Apresentar a literatura acadêmica, debater com os participantes e analisar o quadro de políticas públicas atuais. Este minicurso se propõe a colocar os participantes em contato com as produções da criminologia crítica e com a compreensão dos conceitos de reabilitação, ressocialização e incapacitação dos criminosos, esclarecendo sobre o modelo neoliberal e sobre as características deste modelo nas políticas públicas de segurança.

Minicurso 17: Bianca Ferreira Rodrigues: “Método APAC: um estudo crítico na perspectiva psicanalítica” Parte I, Sexta – Feira, 24/08 - 8h30 às 12h30 / Parte II, Sexta – Feira, 24/08 - 13h30 às 16h30

Resumo: Realizaremos um estudo crítico da metodologia APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, partindo da caracterização de tal terapêutica com o objetivo de analisá-la em suas dimensões religiosa e ideológica, a fim de ir de encontro ao sujeito e às possíveis consequências da tentativa de se recuperar criminosos.

Minicurso 18: Gilsa Arantes: “Tópicos Especiais em Terapia Cognitiva” Sexta – Feira, 24/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: A Terapia Cognitiva surgiu na década de 60, inicialmente para tratar a depressão. Teve uma enorme expansão nas últimas décadas e hoje tem sido muito indicada para o tratamento de muitos transtornos mentais. É uma abordagem ativa, diretiva e estruturada. Baseia-se numa base lógica, na qual o afeto e o comportamento são influenciados pelas cognições. Possui princípios básicos e utiliza uma variedade de técnicas para auxiliar na reestruturação cognitiva. Será abordado neste mini curso tópicos especiais em Terapia Cognitiva, tais como: conceito, princípios básicos, níveis de cognição, distorções cognitivas, relação terapêutica e as principais técnicas.

Minicurso 19: Jahyne Aparecida Carvalho Silvestre e Patrícia Teixeira Pereira: “O que pode o psicanalista no Hospital Geral?” Sexta – Feira, 24/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: A proposta deste curso é abordar o trabalho do psicanalista no Hospital Geral. Considerando as particularidades do trabalho no contexto hospitalar, partiremos de um aprofundamento teórico aliado à experiência clínica para discutir as questões acerca dos limites e as possibilidades que a psicanálise pode oferecer ao sujeito em condição de adoecimento e consequente hospitalização.

Minicurso 20: Regina Castelo e Vivian Ligeiro: “Luto e melancolia: O objeto perdido em questão, a sublimação e suas possíveis relações com o luto pela via da experiência artística” Quarta - Feira, 22/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: O aumento do estudo e a implicação do profissional da Psicologia com a questão do suicídio, aumentados nas últimas décadas em todo o mundo e incluindo neste mal- estar crianças e adolescentes trouxe à cena contemporânea a atualidade do texto freudiano sobre o luto, a melancolia e a depressão. Além da importante teoria de Freud sobre o tema, a Psicanálise tem produzido estudo de vitalidade impar sobre a sublimação e a produção artística na direção de cura e tratamento o que torna este mini curso, atual e fundamental frente às demandas hoje exigidas do profissional da Psicologia. Apresentaremos os conceitos de luto, melancolia e o diferencial diagnóstico de depressão que na contemporaneidade exige para que se possa refletir a conduta nos diagnósticos diferenciais e direção do tratamento. Discutiremos, ainda, a importância da sublimação como um dos possíveis destinos da pulsão e que, ainda oferece um tratamento simbólico ao real traumático. Trabalharemos tal conceito a partir da arte, dando destaque à produção da artista sérvia Marina Abramovic, a fim de problematizar a relação entre arte, sexualidade, morte e objeto.

Minicurso 21: Andressa Bianchi Gumier e Carolina Stersa de Almeida: “Treinamento de Pais no atendimento de crianças e adolescentes” Quinta – Feira, 23/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: A utilização da Terapia Cognitivo–Comportamental (TCC) com crianças e adolescentes vem crescendo nos últimos anos. A TCC com crianças tem a mesma base da psicoterapia com adultos: problemas emocionais e comportamentais surgem como conseqüência de “um modo distorcido ou disfuncional de perceber os acontecimentos, influenciando o afeto e o comportamento.” Quando trabalha diretamente com a criança, no entanto, o terapeuta precisa levar em conta que, orientações e feedbacks são exigidos de forma freqüente pelos pais. Na prática clínica existem diferentes maneiras e abordagens para se trabalhar com os pais e treiná-los utilizando a técnica comportamental “Treino de Pais” apresentada por Williams na década de 60. O minicurso tem como objetivo principal discorrer sobre essa técnica e sobre as diferentes maneiras com que tem sido utilizada atualmente.

PROGRAMAÇÃO DE WORKSHOPS


Workshop 1: Manoel Mendonça Souza (diretor) e Luís Felipe Mautone Dias (ego-auxiliar): “A estrutura perversa (atuadora), a Ética e o Compromisso Social na perspectiva do Psicodrama: Pequenas corrupções, grandes perversões?” Quarta-Feira, 22/08 - 8h30 às 12h30

Resumo: O diálogo entre o “jeitinho brasileiro” e a compreensão dos possíveis aspectos psicodinâmicos das estruturas perversas, também denominadas de atuadoras, constituirá o fundamento necessário para uma vivência teórico-prática objetivando responder a questão: as pequenas corrupções praticadas no cotidiano possibilitam compreender as perversões enquanto uma condição psicopatológica? Para tal, instrumentalizada pelo Psicodrama, a abordagem da Ética e do Compromisso Social se fazem presentes nessa reflexão sobre a teoria que norteia as intervenções individuais e coletivas da Psicologia, inseridas em um contexto social denominado “o mundo liquido”, descrito por Bauman.

Workshop 2: Anna Costa Pinto Ribeiro: “Id, Ego e Superego: como isso se relaciona com o brinquedo na clínica psicanalítica com o bebê e a criança?” Quinta – Feira, 23/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: A proposta deste workshop é tentarmos vivenciar as funções psíquicas dos jogos e brinquedos que usamos como recurso lúdico na clínica com a criança. Muito se fala e escreve sobre a função do lúdico na clinica psicanalítica com a criança, mas pouco se estuda qual a função psíquica de cada jogo proposto em analise à criança ou o porquê desta sempre escolher determinado brinquedo. A partir do aporte teórico da psicanálise, pretendemos retomar a teoria freudiana da segunda tópica, Id, Ego e Superego, numa tentativa de relacionarmos a constituição psíquica destas instâncias com as idades da criança. Tentaremos compreender, especialmente na criança de 0 a 6 anos, como o desenvolvimento destas instâncias psíquicas são evidenciadas em forma de comportamento típico, num primeiro momento. Em seguida, nos propomos a relacionar a constituição psíquica destas instâncias com a queixa na clínica da criança, para que possamos pensar de que maneira cada jogo ou brinquedo atua no caminho diagnóstico na clínica com a criança. Por fim, e como objetivo final do workshop, pretendemos esclarecer de que maneira cada jogo ou brinquedo atua no processo terapêutico na clínica com a criança.

Workshop 3: Elza Lobosque: "Orientação Profissional com uso de Instrumentos Psicológicos" Sexta - Feira, 24/08 - 13h30 às 17h30

Resumo: O objetivo deste workshop é realizar uma descrição dos procedimentos utilizados na prática da Orientação Profissional. e analisar os resultados alcançados na prática da Orientação Profissional através dos instrumentos psicológicos utilizados para um bom processo de Orientação Profissional. A proposta deste encontro é trazer a assertividade do profissional no uso das suas ferramentas para a construção de um processo assertivo, cujo intuito consiste em proporcionar ao orientando ter ideias mais claras sobre si e sobre suas escolhas profissionais, colocando-o em contato com seus interesses, aptidões, habilidades, traços de personalidade, realidade do mercado de trabalho.

Roda de conversa: Elizabeth Lacerda, Gelza Pimentel Cordeiro, Leonardo Vargas e Débora Comitre "Desmistificando A Psicologia Organizacional e do Trabalho" Quinta- feira, 23/08 - 14h às 16h (gratuito)

Resumo: A Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT) é um campo de atuação profissional que ocupa um importante espaço no contexto da profissão, justificando a ampliação dos debates sobre os diferentes temas que impactam sua práxis. Por estas razões, dentre outras, precisamos conversar sobre a POT! Nós, integrantes da Comissão de Psicologia Organizacional e do Trabalho do CRP MG - Subsede Sudeste, convidamos voce para um diálogo sobre esta especialidade da Psicologia que, segundo pesquisa realizada pelo CFP (2001), é a terceira maior área de atuação dos profissionais. O Mundo do Trabalho vem sofrendo profundas transformações nas últimas décadas impulsionadas pelo fenômeno da globalização. Não bastasse isso, a prática efetiva da Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT) depende de vários aspectos de poder das organizações, da política e economia do país.

VALORES E PACOTES


Valores:
Minicurso de 4 horas: R$ 12,00
Minicurso de 7 horas: R$ 17,00
Workshop de 4 horas: R$ 15,00


Pacotes:
5 minicursos de 4 horas: R$ 50,00
2 minicursos de 7 horas + 2 minicursos de 4 horas: R$48,00
1 workshop 4 horas + 1 minicurso 7 horas + 1 minicurso 4 horas: 40,00

  • membros da comissão

SOBRE O EVENTO


Neste ano, o XI Congresso de Psicologia da Zona da Mata e Vertentes, XV Enjupsi, conta com o tema “Psicologias e compromisso social: uma perspectiva científica, ética e política”, por onde buscaremos traçar linhas de diálogo entre a Psicologia e suas diversas abordagens e a perspectiva científica, ética e política. Deste modo, almeja-se proporcionar uma reflexão crítica acerca do papel da Psicologia frente ao compromisso social.


Faça sua inscrição

FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Inscreva-se já